Bombeiros dão dicas de como proceder em caso de queimaduras por águas-vivas e caravelas

0
1176

A temperatura da água, as condições climáticas e a maré podem favorecer o aparecimento de águas-vivas e caravelas no Litoral catarinense durante a temporada de verão. Esses animais apresentam riscos às pessoas porque possuem toxinas que, em contato com a pele, provocam dores, fisgadas, sensação de queimadura e irritação.

No caso de ser tocado por um desses animais, a orientação do Corpo de Bombeiros é que seja aplicado vinagre no local do ferimento, pois ele impede que o veneno do animal siga entrando na pele da pessoa e alivia a dor.

“Jamais esfregar com a mão, passar areia ou jogar água doce porque são formas de potencializar a ação do veneno. Nos postos de guarda-vidas, sempre há garrafas de vinagre disponíveis”, explicou o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Onir Mocellin.

Em caso de pessoas com alguma predisposição alérgica, o quadro do paciente pode evoluir para situações que geram espasmos de glote e até mesmo parada respiratória.

Por isso, após passar vinagre no local que teve contato com os animais, é preciso procurar um posto de saúde, porque, às vezes, é necessário fazer uma raspagem para retirar os ferrões que podem ter ficado grudados na pele.

O Corpo de Bombeiros aconselha também que as pessoas se informem nos postos de salva-vidas sobre as condições do local para o aparecimento de águas-vivas e caravelas.

Comentários

Comentários