Jardim Botânico: parque aberto em setembro

0
578

Comitê técnico municipal reuniu-se na quarta-feira no espaço do futuro Jardim Botânico de Florianópolis para definir as condições da abertura do parque em 24 de setembro. Na reunião, liderada pelo presidente da Companhia Melhoramentos da Capital (Comcap), Marius Bagnati, ficou estabelecido que o parque será aberto com circulação restrita a circuitos de volta ao lago e volta ao bosque, delimitados por pista de caminhada rústica, e à área de parquinho infantil e prédio sede.

Numa lista de 30 atividades preliminares para iniciar a visitação com conforto e segurança, foram distribuídas tarefas entre a Floram, Ipuf, secretarias municipais de Obras, Turismo e Segurança e Gestão do Trânsito e Guarda Municipal. “A ideia geral é definir as ações imediatas até que se tenha um plano diretor sem que essas ações prejudiquem o futuro do Jardim Botânico”, apontou Bagnati.

Pista de caminhada rústica no início

Os arquitetos do Ipuf Marco Ávila Ramos e Ingrid Zandomeneco encarregaram-se de encaminhar o desenho da pista de caminhada e participar na definição do plano diretor. Por sugestão de Ramos, a pista de caminhada manterá seu aspecto rústico nessa etapa inicial. De acordo com o procurador do município Elton Rosa Martinovsky, devem ser consideradas áreas destinadas a atividades que possam sustentar economicamente a operação, manutenção e desenvolvimento do parque.

A engenheira-agrônoma Carolina Amorim e o assessor técnico de gestão ambiental da Floram Gilberto Napoleão compartilharam as experiências do Parque Municipal do Córrego Grande e do Maciço do Morro da Cruz. Segundo Napoleão, está correto o conceito de consolidação apenas da área de uso intensivo até que haja o plano diretor do Jardim Botânico.

Grandes talentos e poucos recursos

“Estamos juntando os grandes talentos e os poucos recursos financeiros municipais para dar conta desse desafio”, disse o presidente da Comcap. A engenheira sanitarista da Comcap Flávia Guimarães Orofino acrescentou que a equipe multidisciplinar trabalha em dois tempos: “Há uma turma que vai fazer o parque funcionar logo e outra que vai cuidar do projeto futuro”.
Mesmo nessa fase de implantação, observou, é preciso definir as regras de uso, incluindo aquelas relacionadas à convivência com animais domésticos e à circulação de bicicletas, o que deve ocorrer nos próximos encontros. O que já está certo é que o espaço terá baixa alocação para automóveis. O espaço para estacionamento será mínimo, estimulando o acesso por outros modais.

Também participou da reunião o gerente de Ordenamento e Infraestrutura de Serviços Turísticos, Leandro Florindo.

Segurança e obras

Aldo Martins, diretor geral da Secretaria Municipal de Segurança e Gestão do Trânsito, e Alex Silveira, diretor da Guarda Municipal de Florianópolis, concordaram que a restrição de uso e entrada exclusiva favorecem as condições de segurança e sugeriram inspeção preventiva da Defesa Civil antes da abertura do parque.

Maria Aparecida Napoleão Catarina e Marco Antonio Moser, da Secretaria de Obras, também acompanharam a reunião e a vistoria. Segundo Moser, engenheiro civil, o material que está sendo retirado na obra da Edu Vieira poderá ser reaproveitado como preenchimento de solo em algumas áreas do parque do Jardim Botânico.

O local foi usado no passado como centro de treinamento dos técnicos de extensão rural da Epagri, atividade importante no desenvolvimento econômico do Estado.

 

Comentários

Comentários