Litoral de Santa Catarina é alvo de campanha pela melhoria da gestão pesqueira no Brasil

0
1376

 Será lançada hoje, 27/02, na comunidade de Costeira de Pirajubaé, a 6,5 km do centro de Florianópolis, iniciativa que visa a proteção de
recursos marinhos e o incremento da qualidade
de vida da população local; mascote do
berbigão vai protagonizar a mobilização social
 

Florianópolis, 27 de fevereiro de 2016 – O molusco berbigão (Anomalocardia brasiliana) será o personagem principal da chamada Campanha por Orgulho que estreia pela primeira vez no Brasil amanhã, 27/02, na Reserva Extrativista (Resex) Marinha de Pirajubaé, na baía sul em Florianópolis. O foco da iniciativa batizada de ‘Berbigão para Sempre’ é o engajamento da comunidade de Costeira de Pirajubaé em um esforço para o planejamento e a gestão participativa da Resex. A campanha terá dois anos e meio de duração e visa recuperar o estoque natural do molusco, resgatar a autoestima do pescador e melhorar a qualidade de vida das famílias que vivem da renda de sua extração. Para marcar o lançamento da campanha, estão previstos diversos atrativos e atividades educativas, como corrida de canoa, barracas com pratos típicos preparados à base do berbigão, apresentações culturais, torneio de pipas e exposição de fotos, artesanato e apetrechos de pesca.  

Além de Pirajubaé, as Campanhas por Orgulho também serão implementadas junto a comunidades das Resex Marinhas da Baía de Iguape (BA), Canavieiras (BA), Prainha do Canto Verde (CE), Cururupu (MA) e Delta do Parnaíba (PI e MA). Uma metodologia desenvolvida pela ONG ambientalista Rare e executada com sucesso em diversos países nas últimas décadas, a Campanha por Orgulho é baseada no uso de ferramentas de marketing social para impulsionar mudanças de comportamento que beneficiam a natureza e as pessoas. Para tanto, identifica uma ou mais espécies importantes localmente para a criação de mascotes carismáticos que servem de chamariz para incentivar o envolvimento do público. Esses mascotes facilitam ações de educação ambiental em escolas, espaços e eventos públicos e ajudam a disseminar informações sobre as ameaças à biodiversidade. Trata-se de um esforço coordenado que inclui desde o estímulo ao sentimento de apropriação e orgulho dos recursos naturais de uma dada área e a mediação de conflitos até ações de monitoramento biológico e proposição de medidas de manejo adequadas, visando a adoção de práticas mais sustentáveis. 

Para a realização das Campanhas por Orgulho, a Rare alia-se a organizações com representatividade e legitimidade locais. No Brasil, no âmbito nacional, o programa está sendo implementado por meio de uma parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e a Comissão Nacional para o Fortalecimento das Reservas Extrativistas Marinhas (Confrem). “Não seria possível realizar nosso trabalho no país sozinhos. Parcerias são essenciais para avançar qualquer programa e com a Rare isso não é diferente. É a soma de esforços conjuntos que vai garantir os resultados esperados”, afirma Márcia Cota, diretora de estratégia e desenvolvimento da Rare. Em Pirajubaé, são parceiros estratégicos a Prefeitura de Florianópolis, a Associação Caminhos do Berbigão, o Coletivo UC da Ilha e a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), responsável pelo monitoramento biológico do berbigão. 

Principais ameaças: dentre as maiores ameaças à Resex e ao berbigão, destacam-se a grande pressão urbana, os eventos climáticos extremos, a sobrepesca e a falta de ordenamento pesqueiro, a baixa organização comunitária na Resex e ausência de uma estrutura apropriada para o beneficiamento do berbigão e de seus subprodutos, a captura de moluscos juvenis e a dragagem de um dos bancos de exploração para a construção da estrada Via-Expressa, o que acarretou uma grave perda de habitat e posterior redução na produção de pesca. 

Mudança de comportamento – “As principais mudanças de comportamento que queremos alcançar são a revisão das normas de extração, o manejo apropriado do berbigão, a limpeza do cascalho para não acumular, a melhoria na qualidade do produto final e a vigilância comunitária dos nossos recursos pesqueiros”, aponta o coordenador da campanha ‘Berbigão para Sempre’, Fabrício Gonçalves. Pescador e engenheiro de aquicultura, ele preside a Associação Caminhos do Berbigão e é o responsável pela implantação de todas as etapas da campanha na Resex Pirajubaé. Junto com os demais coordenadores de campanha nas outras cinco áreas do litoral brasileiro, vem recebendo da Rare e parceiros uma extensa capacitação em marketing social voltado para comunidades, planejamento de campanhas e gestão pesqueira.  

Gonçalves lamenta que, embora a Resex esteja ao lado do aeroporto da capital, o morador e o turista desconhecem ou sabem muito pouco sobre Pirajubaé, a primeira reserva extrativista marinha criada no Brasil, há 24 anos, justamente por causa do berbigão. Segundo ele, a espécie, antes conhecida como ‘mata fome’ da população local, ganhou relevância na culinária ao ser alçada a especiaria especialmente apreciada pela culinária italiana, que cunhou-lhe o termo ‘vôngole’. “Com isso, o berbigão, principal produto da Resex, hoje já é bastante disseminado. Agora, com o esforço da campanha, queremos reconhecer o trabalho do extrativista. Assim, uma das mudanças de comportamento também desejada é que a sociedade como um todo passe a enxergar e a valorizar o papel do homem por trás do produto”, relata.   

Apesar da grande queda na produção do berbigão, que sofreu mortalidade em massa nos meses que antecederam o início do trabalho da Rare na região, os preparativos para o lançamento da campanha já começam a surtir efeito. “A implementação do programa está acima das nossas expectativas. É o primeiro projeto por parte dos extrativistas na Resex Marinha de Pirajubaé. Além dos resultados técnicos e do orgulho gerado dentro da comunidade dos pescadores de berbigão em relação ao trabalho, também começou a gerar uma união entre eles”, conta o biólogo Leôncio Pedrosa, chefe da Resex Pirajubaé e analista ambiental do ICMBio. 

Campanha por Orgulho: solução local para um desafio global – As Campanhas por Orgulho nasceram da percepção de que o desafio da conservação ambiental está diretamente relacionado ao comportamento humano para com a natureza e da constatação de que os esforços só serão bem-sucedidos quando as ações aliarem ciência à uma compreensão dos aspectos sociais e das normas culturais de uma dada localidade. Larissa Stoner, bióloga e gerente de programas da Rare, esclarece que a campanha promove o sentimento de orgulho nas pessoas em relação às espécies, às tradições e aos hábitats locais que tornam suas comunidades únicas e especiais, ao mesmo tempo em que fornece as ferramentas necessárias para que possam conservar seus recursos naturais e propõe alternativas àquelas condutas nocivas ao meio ambiente”. Em cada comunidade onde atua, a Rare trabalha com parceiros e lideranças locais para identificar os públicos-alvo, entender as barreiras que impedem o comportamento sustentável, elaborar e executar um plano que aponte um caminho para a mudança social e biológica necessária, contribuindo para a qualidade de vida e a conservação ambiental.  

Pesca para Sempre – É indiscutível a relevância social, econômica e cultural da pesca no Brasil, onde inúmeras comunidades têm nesta atividade sua única fonte de renda e alimentação. Por outro lado, estudos revelam que o consumo de peixes e frutos do mar per capita no país aumentou cerca de 50% entre 2005 e 2010 e que 70% do pescado nacional provê de atividades realizadas em níveis insustentáveis. “Foi nesse contexto que a Rare trouxe como agenda para sua atuação no Brasil o programa Pesca para Sempre, que visa reduzir a sobrepesca em alguns países. Todo o nosso trabalho aqui, ou seja, a implementação das Campanhas por Orgulho em áreas-chave, está pautado no escopo dessa iniciativa e visa contribuir para a melhoria geral da realidade pesqueira brasileira”, explica a engenheira ambiental Cláudia Quintanilla, diretora de treinamento da Rare.  

O Pesca para Sempre é uma aliança entre três organizações internacionais – Rare, Fundo de Defesa Ambiental (EDF, na sigla em inglês) e Universidade da Califórnia/Santa Bárbara – que apoia comunidades para uma gestão pesqueira efetiva, atualmente em andamento nas Filipinas, na Indonésia e em Moçambique. No Brasil e nas Filipinas, a Rare integra a iniciativa Oceanos Vibrantes da fundação americana Bloomberg Philanthropies, que é o primeiro programa com foco simultâneo na gestão da pesca artesanal e industrial. E, neste contexto, a Rare é o parceiro responsável pela agenda da pesca costeira de pequena escala. “Queremos, por meio dessa iniciativa, promover a gestão sustentável da pesca artesanal, resultando na proteção dos recursos naturais costeiro-marinhos e na melhoria de vida de milhares de famílias que têm no pescado a base para sua sobrevivência”, afirma Quintanilla.  

Carlos Alberto Pinto dos Santos, coordenador geral da Confrem, reitera que a iniciativa tem muito a contribuir para a realidade brasileira. Segundo ele, a pesca artesanal nas áreas marinhas protegidas é uma das poucas alternativas viáveis disponíveis hoje para conservar os recursos pesqueiros no país. “Essa modalidade da pesca de pequena escala é essencial para manter a cultura e a economia das comunidades que trabalham e dependem disso para viver”, aponta Santos.  

# # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # #  

SERVIÇO
LANÇAMENTO DA CAMPANHA ‘BERBIGÃO PARA SEMPRE’
 

Data: 27/02/2016
Hora:
9 horas
Local:
sede da Resex Pirajubaé, próximo ao Elevado da Seta 

# # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # # 

SOBRE A RARE – A Rare é uma organização ambientalista norte-americana, com 40 anos de experiência, cuja missão é inspirar mudanças para que as pessoas e a natureza possam prosperar. Por meio das ‘Campanhas por Orgulho’, já implementou projetos de mobilização social para a promoção de práticas sustentáveis em mais de 50 países, concentrando-se em duas linhas temáticas: ‘pesca’ e ‘água e florestas’. A metodologia desenvolvida pela Rare, hoje mundialmente consagrada, busca soluções de conservação dos recursos naturais fortalecendo lideranças locais, sensibilizando e impulsionando comunidades a adotarem hábitos e procedimentos mais amigáveis para o meio ambiente e para sua própria qualidade de vida.  

A Rare estabeleceu-se no Brasil em 2014 e desde então vem trabalhando em parceria com o governo federal, outras ONGs, universidades e atores locais pela melhoria da gestão da pesca artesanal no país. Com sede no Rio de Janeiro e atuando em unidades de conservação marinhas de uso sustentável, a organização busca capacitar comunidades costeiras para o melhor manejo dos recursos pesqueiros. Assim, a Rare objetiva garantir a segurança alimentar e o sustento da população tradicional, conservar importantes habitats marinhos e os estoques das principais espécies comerciais, além de criar resiliência às mudanças climáticas.  

O trabalho da Rare no Brasil tem o apoio de alguns doadores individuais e é financiado, em sua maior parte, pela fundação americana Bloomberg Philanthropies, que engloba todas as atividades filantrópicas do ex-prefeito de Nova York, Michael R. Bloomberg, e tem o meio ambiente como uma de suas cinco áreas-chave temáticas de atuação. Conheça mais sobre a Rare em http://www.rare.org/pt-br/  

 

Comentários

Comentários