Meteorologistas confirmam micro-explosões em Santa Catarina

0
1189

As famílias de Ponte Alta do Norte e Porto União, atingidas pelo temporal de domingo, 15, receberam o apoio emergencial do Governo do Estado para o trabalho de recuperação dos estragos. As primeiras ações incluem a distribuição de itens de assistência humanitária, como colchões, lonas, telhas, cestas básicas e kits de higiene e limpeza. Nesta segunda-feira, 16, o secretário de Estado da Defesa Civil, Milton Hobus, visitou os dois municípios, sobrevoou as áreas atingidas. Após o sobrevoo lamentou as quatro mortes provocadas pelo temporal e pediu agilidade no levantamento dos prejuízos, para que o quanto antes, os atingidos tenham acesso à ajuda adequada.

A situação mais grave é em Ponte Alta do Norte, onde foram confirmadas três mortes e 70 casas atingidas. Destas, 12 foram completamente destruídas. Em Porto União, uma pessoa morreu. “O Estado já está auxiliando todas essas famílias que estão sem as casas e, imediatamente, vai fazer o levantamento das 12 residências que foram totalmente destruídas. Havendo o enquadramento socioeconômico, o Governo do Estado vai disponibilizar 12 casas modulares da Defesa Cvil, de imediato para essas famílias. As outras, que foram parcialmente destruídas, também, se forem enquadradas, o Estado vai ajudar na reconstrução por meio de programas da Defesa Civil instituídos para atender as pessoas mais humildes exatamente em momentos de extrema necessidade, como é em um desastre como esse”, disse Hobus.

Trabalho de resposta do Governo do Estado começa imediatamente após ocorrência do fenômeno

Toda vez que ocorrem fenômenos como esse, que provocam destruição e afetam as famílias, imediatamente entra em operação o Grupo de Açoes Coodenadas – GRAC, que envolve 42 órgãos do Governo do Estado. Entre eles estão as polícias, o Corpo de Bombeiros, Celesc, Casan e secretarias de Estado como as da Saúde e Educação. Os envolvidos são responsáveis por levar a ajuda do Estado às comunidades prejudicadas.

Cada região de Santa Catarina tem um coordenador da Defesa Civil que atua no levantamento dos prejuízos. “Os números também são importantes porque são eles que vão caracterizar o estado de emergência e aí possibilitar que o Estado possa injetar os recursos necessários para a reabilitação”, informou Alexandre Sampaio, gerente de Operações e Assistência da Defesa Civil estadual.

Fenômeno que provocou mortes e destruição foi a Microexplosão

A tempestade severa que atingiu os municípios de Ponte Alta do Norte e Porto União, na noite de domingo, 15, foi considerada uma microexplosão, fenômeno atmosférico em escala local que pode causar ventos extremamente fortes. De acordo com a meteorologista da Epagri/Ciram, Gilsânia Cruz, a microexplosão tem alto poder destrutivo, ventos que podem superar os 100 km/h e são mais frequentes do que os tornados. Estes fenômenos ocorrem quando a corrente descendente em uma tempestade é tão forte que chega ao solo causando destruição.

 

Fonte: Defesa Civil SC

Comentários

Comentários