Moradores do Panorama adotam a reciclagem

0
527

Um importante serviço foi implantado na manhã desta quarta-feira(20) no maior condomínio popular de Florianópolis: o Conjunto Habitacional Panorama, no bairro Monte Cristo, região continental, passa a adotar agora a prática diária de reciclagem dos resíduos.

O ato de implantação do serviço foi marcado pela presença de moradores, funcionários do condomínio e representantes da Companhia Melhoramentos da Capital (Comcap).

O Panorama foi inaugurado no final da década de 80 e nunca houve qualquer preocupação com a destinação dos materiais recicláveis.  Em se tratando de números, tudo é muito grande no conjunto: são 41 blocos, 800 apartamentos, abrigando aproximadamente quatro mil pessoas.

O projeto da reciclagem foi uma proposta da atual administração, que assumiu em agosto de 2015 e é integrada por sete mulheres. De acordo com a nova síndica, Maria da Glória Pereira, com a adoção do serviço de reciclagem, pretende-se angariar fundos para o futuro fechamento do condomínio.

“Temos ainda um grande número de inadimplentes com as taxas de condomínio, por isso tivemos a ideia de implantar o serviço de reciclagem. Somente desta forma iremos conseguir fechar todo o espaço e melhorar a qualidade de vida dos nossos condôminos”, disse.

Ainda em questão de qualidade e melhoria, o diretor operacional da Comcap, José Vilson Souza, salientou a importância do serviço. Segundo ele, com os novos hábitos, os moradores passarão a ter conscientização de quanto valem os resíduos descartado de forma correta.

Ainda de acordo com o diretor, a tendência com a reciclagem é diminuir os custos para o Município, reduzindo desta forma o tamanho da caixa coletora que a Comcap disponibiliza para o condomínio. Com a separação dos resíduos, a ideia é deixar de utilizar uma caixa de 20m³ e passar a usar uma de 7m³, realizando a coleta duas vezes por semana. Com isso, evita-se o acúmulo de lixo e também o mau cheiro que emana dele.

Para a moradora Sandra Marcia Gomes, do bloco 31, o Panorama passa a ser ecologicamente correto e altamente sustentável. A moradora se diz muito feliz em poder ser coparticipante deste processo, onde sem sombra de dúvidas todos irão ganhar.

“Sabemos que uma garrafa pet leva 400 anos para se decompor. Veja quanto isso é prejudicial ao meio ambiente, porque não pensarmos que levaremos apenas quatro segundos para separá-la dentro de nossa casa. Isso nos faz pensar que precisamos urgentemente mudar nossos hábitos e contribuirmos de forma eficaz para com o nosso planeta”, disse.

Todo o material reciclado será separado num espaço destinado exclusivamente para o serviço e posteriormente embalado e vendido para uma empresa recicladora. Segundo o proprietário da empresa Dil Reciclagem, Dilmar Manoel João, o volume de resíduos separados no condomínio poderá chegar até duas toneladas mês, dependendo da adesão dos moradores.

Questionado sobre valores pagos pelos materiais, Dilmar informou que o menor custo é o do material misto, onde o preço não passa de R$ 0,15 o quilo. Já o mais caro varia de acordo com a cotação do dólar, que são os materiais derivados de alumínio, onde o preço atual é de R$ 2,60 o quilo.

20_07_2016_15_01_26883132731d8c659ec0c0b231cc8f92

Comentários

Comentários