SESP faz blitz contra o comércio ilegal no Centro

0
739

Uma operação envolvendo mais da metade dos fiscais da Secretaria Executiva de Serviços Públicos (SESP) da Capital aconteceu na tarde desta sexta-feira(3), na região central de Florianópolis. Para garantir uma maior eficiência da ação, que contou com o apoio da Guarda Municipal, os fiscais portavam apenas o crachá de identificação, dispensando o colete característico.

Toda a mercadoria apreendida foi levada em um caminhão para o depósito da Prefeitura, onde estará a disposição para ser retirada mediante documentação.

A SESP tem realizado rotineiramente ações com este objetivo. Um dos fatores apontados como  incentivador para que este tipo de comércio clandestino se mantenha é a insistência de algumas pessoas em adquirirem estas mercadorias.

Durante a operação desta sexta-feira, algumas pessoas demonstravam claramente desconhecer que a atividade destes camelôs encobre uma série de crimes, como falsificação e contrabando. Além de não recolherem os impostos, os produtos não possuem garantia de qualidade e em alguns casos podem até mesmo causar danos à saúde dos usuários.

Segundo o Fórum Nacional contra a Pirataria e Ilegalidade, a indústria brasileira teve em 2015 um prejuízo superior a R$ 30 bilhões por causa da concorrência desleal dos clandestinos. Isto representa cerca de R$ 9 bilhões não recolhidos de impostos, e que consequentemente deixam de ser investidos em serviços como saúde e educação.

Outro problema apontado é o uso de mão de obra não registrada, e em muitos casos vinda de países vizinhos e submetida a regime de semiescravidão. Além disso, boa parte dos controladores deste sistema têm ligações com outras atividades ilícitas, como o tráfico de drogas.

Comentários

Comentários