Torneio de xadrez anima fim de semana

0
533

Apenas o barulho da chuva quebrou o silêncio dos enxadristas que na tarde desta sexta-feira (19) disputaram a primeira rodada do 2º Floripa Winter Chess 2016, que acontece até domingo (21), no Castelmar Hotel, em Florianópolis. Entre eles, o hexacampeão brasileiro na categoria deficiente visual, Roberto Carlos Hengles, de São Paulo, que em outubro participará do campeonato pan-americano de xadrez para deficientes visuais em Caraguatatuba (SP).

O torneio promovido pelo Clube de Xadrez de Florianópolis, em parceria com a Fundação Municipal de Esportes (FME), é válido pelo ranking oficial da Federation Internationale des Eches (FIDE), a federação mundial de xadrez, com sede em Paris. Ao todo, o evento conta com 110 participantes inscritos, oriundos da Argentina e do Equador, além do Brasil, que tem 13 Estados representados, entre os quais o Amapá. A maioria dos atletas é do sexo masculino, com idades entre 17 e 30 anos.

Entre os enxadristas concentrados em seus jogos durante a primeira rodada do torneio, algumas duplas chamavam a atenção tanto pela performance quanto pela diversidade. Apesar da diferença de estilo, por exemplo, o gosto pelo xadrez acabou por juntar, em torno do mesmo tabuleiro, o general da reserva gaúcho Jorge Alberto Boabaid e o estudante Jailson Carvalho da Silva, da Universidade Federal do Paraná.

“O xadrez é bem democrático neste sentido: jogam todos”, comentou o coordenador técnico da seleção de xadrez de Florianópolis e um dos organizadores do 2º Floripa Winter Chess 2016, Marcelo Pomar.

Outra dupla ocupava, curiosamente, duas mesas, lado a lado. É que o único deficiente visual presente no torneio, Roberto Carlos Hengles, e o adversário de jogo tinham cada um o seu tabuleiro. Segundo explicou Pomar, além do tabuleiro usado por Hengles ser específico, adaptado às suas necessidades, o jogador com deficiência visual é autorizado a sentir as peças pelo tato antes de movimentá-las e controla o tempo de jogo com o auxílio de um fone de ouvido. Ao adversário, cabe contar-lhe o lance que executa.

Hengles começou a jogar xadrez aos sete anos de idade, quando ainda enxergava. A perda da visão ocorreu depois de adulto, mais especificamente em 1994, em decorrência de um tiro recebido num assalto sofrido por ele e o pai. Passados seis anos do incidente, ele voltou a jogar e a competir, destacando-se em sua modalidade no Brasil e no Exterior.

Enxadristas de destaque

O evento realizado no Castelmar Hotel é tido como “irmão caçula” do Floripa Chess Open que vem sendo realizado anualmente na Capital no mês de janeiro e levado a cidade a ser referência em torneios de xadrez. Afinal, neste ano, reuniu 300 jogadores de 11 países de três continentes. Ainda de acordo com o também enxadrista Marcelo Pomar, a intenção é congregar a comunidade praticante do esporte; aumentar o nível técnico, sobretudo de Florianópolis, que foi campeão de xadrez nos últimos Jogos Abertos de Santa Catarina (JASC) e Joguinhos Abertos de Santa Catarina, em 2015; movimentar o cenário do xadrez brasileiro e sul-americano; possibilitar que os atletas da cidade possam competir sem muitos gastos e incrementar o turismo local.

Entre outros atletas de destaque participantes do torneio, estão a campeã brasileira de xadrez até oito anos, Tereza Mirela Pedro, de oito anos, de Criciúma (SC), a mais nova dentre os inscritos; seu par até 14 anos, Maria Eduarda Gomes, de 14 anos, de Lacerdópolis (SC); a líder do ranking brasileiro até 14 anos, Fernanda Balbys, de 13 anos, de Florianópolis, e a única campeã feminina de xadrez de Florianópolis em 38 anos dos JASC, Karoliny Taiane da Cruz, de 23 anos, título conquistado em 2012.

Aberto ao público

As partidas, que duram por volta de três horas, podem ser assistidas pelo público, a quem só é solicitado que faça silêncio. Neste sábado (20), elas acontecerão às 9, 14 e 19 horas, e no domingo (21), às 9 e 14 horas. O torneio tem, ao todo, sete rodadas e premiação total no valor de R$ 7 mil, que será distribuída ao vencedor geral que fizer mais pontos, aos melhores das categorias feminino e sênior e a faixas de classificação da FIDE.

Comentários

Comentários