-- Publicidades -- Órbita Marketing
Noticias

Europa vive semana decisiva sobre abastecimento de gás russo após fim da manutenção do Nord Stream

Rússia deve reabrir seu principal gasoduto de gás natural para a Alemanha nos próximos dias; fornecimento foi interrompido no dia 11 de julho para reparos regulares

Esta semana pode ser crucial para os países europeus preocupados com o impacto da guerra e das sanções sobre o fornecimento de gás. Isso porque a Rússia deve reabrir seu principal gasoduto de gás natural para a Alemanha, Nord Stream 1, nos próximos dias após manutenção regular, mas os europeus estão preocupados de que Moscou possa mantê-lo fechado. A russa Gazprom, que opera o gasoduto, disse a clientes na Europa que não pode garantir o fornecimento de gás por causa de circunstâncias “extraordinárias”, de acordo com uma carta vista pela Reuters, aumentando a aposta em um confronto econômico com o Ocidente.

Nesta terça-feira, 19, ao mesmo tempo em que as tropas russas intensificaram seus ataques no sul e norte, a maior importadora de gás da Alemanha, declarou: “Recebemos uma carta da Gazprom na qual a empresa invoca retroativamente uma força maior por seus cortes de fornecimento de gás passados e atuais”, declarou a Uniper, maior importadora de gás da Alemanha. “Podemos confirmar o recebimento de um aviso de força maior”, confirmou o grupo RWE, outro cliente da Gazprom, também em comunicado enviado. Segundo o jornal alemão Handelsblatt, outros “clientes europeus” da Gazprom receberam o mesmo aviso. Falar de um “estado de força maior”, que permite que uma empresa seja liberada de suas obrigações contratuais, isentando-a de qualquer responsabilidade legal.

Desde o início da guerra na Ucrânia, a Alemanha fechou outro gasoduto russo que deveria entrar em funcionamento – o Nord Stream 2 – e se esforça para reduzir a dependência do gás de Moscou. Mas a dependência permanece elevada: 35% de suas importações de gás procedem da Rússia, contra 55% antes da guerra. E mais de 50% da calefação das residências precisa do gás. Uma paralisação permanente do Nord Stream 1 não afetaria apenas a maior economia europeia. Segundo o site do Nord Stream, o gás que chega à Alemanha, à localidade de Lubmin, é transportado em seguida para Bélgica, Dinamarca, França, Grã-Bretanha, Holanda. O gasoduto Nord Stream está em obras desde 11 de julho. Esta manutenção de rotina terminará na quinta-feira às 04h00 GMT (1h00 de Brasília).

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo